CANHOTOS NO COMBATE

CANHOTOS NO COMBATE

Como já sabemos, os canhotos são cerca de 10% a 15% da população mundial, sendo esta lateralidade esquerda mais presente em homens. Essa característica tão especial não tem uma explicação totalmente aceita pela ciência. Pais canhotos nem sempre terão filhos canhotos, o que o meu caso, sou canhota mas minha filha nasceu destra, nem tudo é perfeito e o importante é que ela tem bastante saúde.

 

Brincadeiras a parte, uma das inúmeras curiosidades sobre os canhotos é em relação grande facilidade para o esporte, principalmente lutas, como o boxe e MMA. Um atleta canhoto pode impor bastante dificuldade para seus adversários.

 

A história mostra que os exércitos treinavam para defender, em sua maioria, de inimigos destros, já que a grande maioria das pessoas é destra. Portanto os movimentos de luta tornaram-se padrão.  No entanto, combatentes canhotos eram verdadeiros “elementos-supresa” para os oponentes. Dentre outros grandes conquistadores,  Alexandre – o Grande – foi considerado um dos generais mais brilhantes de todos os tempos, é claro, mais um canhoto habilidoso.

 

O esporte segue a mesma lógica e prepara os lutadores para enfrentar adversários destros, que por inúmeras vezes são surpreendidos ou têm bastante dificuldade durante as lutas.

 

Os movimentos de luta e reflexos ficam quase que automáticos, num tipo de memória muscular voltada a combater atletas destros. Então surge a dificuldade de se enfrentar um lutador canhoto, que por sua vez também passa a maior parte da sua carreira lutando contra destros.

 

Pesquisadores franceses afirmam, que apesar de todo o conhecimento atual sobre como os canhotos se comportam, lutadores canhotos levaram e ainda levam vantagens sobre os destros.  Essa afirmação foi feita após a análise de alguns dados de 9 sociedades primitivas, espalhadas pelos 5 continentes, onde havia altos índices de homicídios, observou-se uma prevalência de cidadãos canhotos. A partir desse estudo também pode-se concluir que canhotos têm 27% de chances a mais de sobrevivência em situações de violência, quando comparados aos destros.

 

Já em relação às lutas como esporte (artes marciais e modalidades de combate), grandes combates entre destros e canhotos marcaram época. Foi o que aconteceu no boxe, em 1947, Mike Collins, um canhoto, enfrentou Pat Brownson, destro. Collins saiu de seu canto em posição de combate como se fosse um destro e então inverteu sua base para aplicar um golpe que daria a fim ao combate, uma grande surpresa para todos que acompanhavam a luta.

 

Em média atletas canhotos perdem 50% menos lutas que destros. O estudo ainda mostra atletas canhotos nunca devem converter-se ao uso da mão direita.  Canhotos no boxe costumam fazer bastante sucesso, como é o caso de alguns dos principais representantes desse esporte: Manny Pacquiao, apelidado nos Estados Unidos como “Mini Mike Tyson”.

 

Outras modalidades também tem seus ilustres canhotos. No Mixed Martial Arts – MMA, a lista de lutadores canhotos bem-sucedidos é extensa.

 

  • Lyoto Machida
  • Jens Pulver
  • Okami
  • Vitor Belfort
  • Rich Franklin
  • Takanori Gomi
  • Mirko Cro Cop

 

O ideal é que a preparação para enfrentar um adversário canhoto seja feita com uma certa antecedência, assim que tiver conhecimento de um adversário canhoto, o treinamento deverá ser focado na forma como este luta. Utiliza-se de sparrings canhotos para simular a luta e mapear o máximo de movimentos possíveis.

 

Em lutas de projeção e de solo, como Judô e Jiu-Jitsu, enfrentar um adversário canhoto também traz certa dificuldade, uma vez que os lutadores destros estão acostumados a projetarem seus golpes, em geral, na direção e/ou com o lado direito.

 

Um dos maiores campeões de Judô do Brasil, Tiago Camilo, é canhoto, octacampeão brasileiro, além de ter sido campeão pan-americano e mundial, assim como Demian Maia, uma fera do Jiu-Jitsu e do MMA.

 

O lado pode fazer muita diferença numa luta e portanto enfrentar um canhoto pode ser uma parada duríssima.

 

Até o próximo artigo…

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *